Segundo a Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária (APEMIP), mais de metade das casas venderam-se em apenas três meses, em 2018. Mas neste momento, a APEMIP estima um abrandamento em 2019, duplicando-se o tempo de venda dos imóveis.

O Presidente da APEMIP, Luís Lima admite que a principal causa pelo aumento do prazo de venda, é a falta de stock imobiliário, mas também os preços praticados no mercado. Na verdade, a oferta disponível está completamente desajustada em relação à procura existente.

Por outro lado, os preços em vigor são absolutamente excessivos para a classe média/média baixa. Mesmo para a classe mais alta, os preços elevados começam a retrair os potenciais compradores, que remetem assim para mais tarde o negócio, pois sentem que o mercado está a ferver.

Luís Lima salienta que a solução passa pelo aumento da oferta para a classe média e média baixa, e harmonizar os preços de acordo com a realidade do mercado. Ele reconhece ainda que a referida medida é fundamental, para que os negócios se concretizem aceleradamente e de forma transparente para ambas as partes.

O responsável prossegue esclarecendo, que existe uma tendência natural dos proprietários em estabelecer um preço inicial elevado. Mas acrescenta, no entanto, que muitas vezes eles não estão a terem em conta fatores importantes como a localização, as características e a qualidade do imóvel, que são imprescindíveis no momento de fixar um preço.

É precisamente este comportamento que conduz ao desenquadramento dos preços do real valor de mercado, fazendo com que os imóveis fiquem mais tempo pendentes em carteira.

Por conseguinte, Luís Lima finaliza alertando que é necessário haver uma consciencialização por parte dos intervenientes, de forma a promoverem um mercado mais realista e evitar assim, revisões em baixa. Justifica dizendo que o problema não é a falta de clientes, mas sim a falta de produto. Mas considera que tal não é motivo para abusar nos preços, e intensificar ainda mais, os desequilíbrios que já se fazem sentir entre a oferta e a procura.