Dos 443 contratos assinados para grandes projetos em Portugal, o interior recebeu aproximadamente 26% na última década.

Segundo os dados da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), o interior recebeu 26,4% dos grandes projetos assinados entre 2008 e o primeiro semestre de 2018. Dos 443 contratos assinados no nosso país, apenas 117 foram para o interior, num valor investido correspondente a 1,8 mil milhões de euros. Por outro lado, o litoral recebeu 73% do total investido no valor de 4,9 mil milhões de euros, que correspondem aos 326 assinados no mesmo período.

No entanto, o referido estudo da AICEP apenas considera investimentos, a partir de 25 milhões de euros ou iniciativas de empresas com faturação anual acima de 75 milhões de euros. Deste modo, as pequenas e médias empresas com investimentos mais reduzidos, ficam excluídos destas estatísticas.

O ano 2016 foi considerado o melhor ano para o interior. Dos 70 contratos assinados, 19 foram para o interior, totalizando 364 milhões de euros. Entre os investimentos que contribuíram para tal classificação, destacam-se o investimento da Faurecia em Bragança, da Embraer em Évora, e da Celtejo em Vila Velha de Ródão.

Para finalizar e ainda segundo o AICEP, foi a entrada em vigor de um sistema de incentivos ligados à iniciativa Portugal 2020, que justificaram estes resultados. Trata-se de um Acordo de Parceria adotado entre Portugal e a Comissão Europeia em 2014, que reúne a atuação de 5 Fundos Europeus Estruturais e de Investimento, no qual Portugal vai receber 25 mil milhões de Euros até 2020, para estimular o crescimento e a criação de Emprego, consagrando a política de desenvolvimento económico, social e territorial a promover no país.