O centro de Lisboa encontra-se de certa forma, esgotado para o mercado imobiliário. Assim, as atenções concentram-se agora para outros bairros da zona oriental da cidade, como Marvila, Beato e Vale de Santo António. O valor do metro quadrado em Marvila disparou 80%, apesar de se manter abaixo da média de Lisboa.

Marvila sendo uma zona com vários bairros sociais, está a preparar-se para ser o próximo bairro da moda de Lisboa. Após longos anos de abandono industrial, os residentes desta parte oriental da capital, estão a presenciar o nascimento de uma nova Marvila. Embora no interior da freguesia, o traçado irá se manter minimamente inalterado, o panorama da zona ribeirinha começa a transformar-se.

Na verdade, esta zona oriental mostra um forte potencial para se tornar no novo polo de atração urbana da cidade, tanto na vertente habitacional como de escritórios. Apesar de se encontrar ainda numa fase precoce do seu desenvolvimento, esta área de Lisboa beneficia da proximidade do rio e do ambiente artístico e cultural, que tem vindo a viver nos últimos anos.

Quem desce na direção do rio, irá de encontro a quatro edifícios, dois deles ainda em construção, com uma arquitetura bastante característica em comparação com a estrutura das típicas casas históricas. Trata-se do Prata Riverside Village, um projeto da VIC Properties, com quase 130 mil metros quadrados. Dentro de cinco anos, estão previstos um total de 692 apartamentos com áreas que podem chegar aos 260 m2. Trata-se de um investimento de 450 milhões de Euros.

Localizadas mesmo ao lado do Tejo e com vista de rio, as novas construções são imponentes e distintas, o que deixa adivinhar que não se encontrarão acessíveis a todas as bolsas. Num dos lotes concluídos, já foram vendidos os 28 apartamentos existentes, com valores que oscilaram entre os 700 mil e os 2 milhões de Euros.

Neste momento, encontra-se outro lote em construção, ligeiramente diferente e mais barato, pois não oferece apartamentos Duplex. Serão 40 apartamentos com valores entre os 440 mil e os 2 milhões de Euros, dos quais 40% foram vendidos todos a portugueses. O próximo lote a venda contará com 107 apartamentos. 

Este projeto de grande dimensão, é claramente o responsável pelo disparo de 79,8% do preço do metro quadrado em Marvila. Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), esta freguesia foi a que registou o maior aumento do valor do metro quadrado em 2018. Passou de 1.483 Euros para 2.666 Euros por metro quadrado. 

Marvila: antes e depois

Até agora, Marvila nunca tinha sido renovada, sem ver praticamente nascer bairros novos nos últimos anos. Por esse motivo, os preços situam-se muito abaixo da média de Lisboa. Com o surgimento do Prata Riverside Village e outros edifícios totalmente novos com preços mais elevados, e considerando o fraco volume de transações anterior, é normal que com estes novos empreendimentos os preços tendem a crescer.

O Presidente da Junta de Freguesia de Marvila, José António Videira, esclarece que a subida generalizada do mercado imobiliário na capital, está a ser acompanhada pela evolução da zona. Acrescenta que a qualidade de vida e os preços razoáveis em Marvila, bem como as acessibilidades, a proximidade ao rio Tejo e ainda, a possível construção de um novo hospital (novo Hospital Oriental de Lisboa), também estão a originar algum crescimento no mercado imobiliário. No entanto, não se apresenta tão expressivo quanto aqueles empreendimentos de topo estão a criar, e que estão a surgir na zona entre o rio e a linha de comboio.

O presidente da Junta defende ainda que um empreendimento desta envergadura não irá descaracterizar a freguesia, porque vai igualmente trazer alguma requalificação na área. Acredita que atualmente, existe todo um conjunto de potencialidades industriais, criativas, culturais e turísticas, a originar o aumento exponencial do metro quadrado. Assim, é expectável de certa forma, que haja contágio aos outros bairros da freguesia, continuando a dar aos habitantes, a possibilidade de criar uma vida e um futuro em Marvila.                                                         

O Prata Riverside Village não é o único projeto que está a impulsionar Marvila e as suas redondezas. A menos de 2 quilómetros, encontra-se o Hub Criativo do Beato que poderá atrair mais investidores. A este projeto criativo, junta-se ainda o condomínio do grupo libanês FFA Real State, a ser edificado no centro da freguesia. Apesar do processo estar bastante atrasado devido a problemas de licenciamentos, irá ter 51 apartamentos e um custo de investimento a rondar os 16 milhões de Euros.

Para finalizar, a empresa Refletecarismas comprou no inicio do ano, um quarteirão por 17 milhões de Euros. Delimitado pela Praça David Leandro da Silva, pela Rua Fernando Palha e pela Rua Zófimo Pedroso, o quarteirão tem uma área de construção aprovada de 16.160 m2 acima do solo.