O Nº266 da Av. da Liberdade foi originalmente construído nos anos 40 para alojar o Diário de Notícias, e funcionou como sede do jornal até 2016. O edifício será agora renovado e transformado em 34 apartamentos de luxo e uma loja. O T5 do último piso, uma penthouse ainda sem preço, irá tornar-se numa das casas mais exclusivas e mais caras à venda em Lisboa. 

O imóvel comprado no final de 2016 pela promotora imobiliária Avenue, deu agora início as obras de conversão, pois só muito recentemente obteve o licenciamento necessário para avançar. O Diretor geral da empresa, Aniceto Viegas, admitiu que foi um processo rigoroso e desafiante, e ao mesmo tempo um grande privilégio. O edifício tem se conservado em excelente estado, sendo um imóvel de grande riqueza interior, muito graças a presença das obras de Almada Negreiros, que foram criadas especialmente para este espaço, e que serão preservadas.

A construtora responsável pelos trabalhos ainda não pode ser revelada, mas de acordo com Aniceto Viegas, as obras vão arrancar provavelmente já em agosto, e devem durar aproximadamente 20 meses. A renovação do 266 Liberdade está a cargo do gabinete de arquitetura Contacto Atlântico. A Avenue investiu neste projeto um total de 45 milhões de Euros, tendo comprado o imóvel no final de 2016, por cerca de 20 milhões de Euros.

A fachada frontal e traseira do edifício que dão para a Avenida da Liberdade e para a Rua Rodrigues Sampaio, serão igualmente preservadas. Além disso, também serão mantidas as escadas, os corrimões com a sua cor original, as paredes revestidas a pedra e os corredores, bem como o elevador da época e a porta rotativa de madeira da entrada pela Avenida da Liberdade.  

Apartamentos a partir de que preço?

Assim, o edifício de cinco pisos, terá além de um espaço comercial com 1.300 m2 que poderá vir a ser uma loja de moda, terá um total de 34 apartamentos: 11 T0, 10 T1, 8 T2, 4 T3 e 1 T5, cujas áreas variam entre os 47 m2 e os 408 m2. As imobiliárias Porta da Frente e JLL serão responsáveis pela comercialização do imóvel. Os preços de venda, começam nos 430.000 Euros para os T0 e culminam nos 1.720 milhões de Euros para os T3. Quanto aos T1 e aos T2 irão entrar no mercado por 560.000 Euros e 1,1 milhões de Euros, respetivamente. Terá 47 lugares de estacionamento subterrâneo disponíveis.

O T5 é a estrela do 266 Liberdade, mas com preço ainda por definir. Aniceto Viegas salienta que se trata de uma habitação especial e única pelas suas características e dimensões, e por esse motivo lhe será atribuído um preço diferente, ainda em estudo. Acrescenta ainda que esta penthouse só será colocada à venda no final de 2019, e vai tornar-se assim, uma das casas mais caras à venda na capital. Com uma área total de 408 m2, será composto por 4 suites, 1 terraço exterior de 416 m2 e outro interior.

Mais Projetos Residenciais em desenvolvimento

A promotora tem outros 8 projetos residenciais e de escritórios em carteira, três deles já finalizados: o Liberdade 203, o Liberdade 40, e o Aliados 107 no Porto. Além do 266 Liberdade, encontram-se em curso o The Cordon, o Mulberry Hill e o Orpheu XI, todos em Lisboa. No segmento de escritórios a empresa tem no Parque das Nações, o EXEO Office Campus, cujas obras estão previstas arrancarem já em setembro. 

A empresa já investiu mais de 250 milhões de Euros, neste conjunto de projetos. Aniceto Viegas admite ainda a previsão de um investimento adicional de 150 milhões de Euros, até 2020. Sem revelar grandes detalhes sobre os futuros empreendimentos, esclarece apenas que um deles será em Lisboa e outro no Porto, mas que ambos serão residenciais.